Letras Web
G.R.E.S. Tupy de Brás de Pina

Seca do Nordeste

G.R.E.S. Tupy de Brás de Pina

8 acessos

(Oh,sol ...)
Sol escaldante,terra poeirenta
Dias e dias,meses e meses sem chover
E o pobre lavrador com a ferramenta agude
Dá forte no solo duro
Em cada pancada parece gemer
Hum...hum..hummm
Geme a terra de dor

Ô ô ô ô...
Não adianta meu lamento meu senhor
Ô ô ô ô...
E a chuva não vem
O chão continua seco e poeirento
No auge do desespero
Uns se revoltam contra Deus
Outros rezam com fervor :
- "Nosso gado está sedento meu senhor
Nos livrai dessa desgraça!"

O céu escurece, as nuvens parecem
Grandes rolos de fumaça
Chove no coração do Brasil
E o lavrador,retira o seu chapéu
E olhando o firmamento
Suas lágrimas se unem
Com as dádivas do céu
O gado muge de alegria
Parece entoar uma linda melodia
Ô ô ô ô ô ô...


Top Letras de G.R.E.S. Tupy de Brás de Pina

  1. Manoa, Um Sonho Dourado
  2. Essa Nega Fulô
  3. Seca do Nordeste
  4. Assim Dança o Brasil
  5. Riquezas Áureas da Nossa Brasil
  6. Samba Sinfonia de Uma Raça
  7. Rio Boa Praça
  8. Samba-Enredo 2017 - O Dom de Wilson Das Neves

Pela Web