Letras Web

Ed Sheeran vence processo por plágio de “Shape Of You”

Cantor protestou pelo o que chamou de cultura do processo.

Por Rodrigo Bueno
07/04/2022 às 11:53
publicado em Notícias

O cantor Ed Sheeran foi considerado inocente em um processo que estava sendo movido contra ele pelo suposto plágio de um dos seus grandes sucessos musicais, “Shape of You”. O responsável pela ação que estava sendo movida foi um compositor birtâncio chamado Sami Chokri, cujo nome artístico é Sami Switch, e o produtor musical Ross O'Donoghue.

Ed Sheeran vence processo por plágio de “Shape Of You”

Na ação, os acusadores afirmavam que Ed Sheeran e sua equipe teria plagiado uma faixa chamada “Oh Why”, que foi lançada originalmente no ano de 2015. A música de Ed Sheeran, “Shape of You”, foi lançada originalmente no ano de 2017, no terceiro disco lançado pelo músico, chamada “÷ (Divide)”.

Os argumentos utilizados pelos acusadores eram de que Ed provavelmente teria ouvido a canção antes e usado “frases particulares” da mesma em sua música. Mas a justiça britânica não levou em consideração essas afirmações, decidindo que o músico não teria copiado de forma deliberada nem conscientemente aa canção em questão.

Ed Sheeran vence processo por plágio de “Shape Of You”

"Embora existam semelhanças entre os ganchos 'OW ('Oh Why')' e a frase 'OI ('Oh I')', também existem diferenças significativas", analisou o juiz da Suprema Corte de Londres, Antony Zacaroli.

Ed Sheeran comemorou a vitória nas redes sociais, postando um vídeo com um desabafo no qual ele afirma que este tipo de processo está se tornando algo “cultural”. Confira a tradução do depoimento do músico:

"Eu, Johnny e Steve fizemos uma declaração conjunta que será divulgada à imprensa sobre o resultado deste caso, mas eu queria fazer um pequeno vídeo para falar um pouco sobre isso, porque eu realmente não pude dizer nada enquanto estava acontecendo.

Embora estejamos obviamente felizes com o resultado, sinto que acusações como essa são muito comuns agora e se tornou uma cultura em que uma reclamação é feita com a ideia de que um acordo será mais barato do que levá-los ao tribunal, mesmo que não haja base para a alegação. Isso é realmente prejudicial para a indústria de composição.

Há tantas notas e poucos acordes que você pode usar na música pop, coincidências vão acontecer, já que seis mil músicas são lançadas todos os dias no Spotify. São 22 milhões de músicas por ano. E só existem 12 notas disponíveis.

Não quero tirar nada da dor e da mágoa sofridas por ambos os lados neste caso, mas quero dizer que não sou uma entidade, não sou uma corporação, sou um ser humano, sou pai, sou marido, sou filho. Ações judiciais não são uma experiência agradável e espero que essa decisão signifique que, no futuro, reivindicações infundadas como essa possam ser evitadas, isso realmente tem que acabar.

Eu, o Johnny e o Steve somos muito gratos por todo o apoio enviado por colegas compositores nas últimas semanas. Espero que todos possamos voltar a escrever músicas ao invés de ter que provar que podemos escrevê-las".

Últimas notícias

As mais acessadas


Pela Web