Letras Web
Tribo da Periferia

Doce da Alma

Tribo da Periferia

292 acessos

Ela é tipo aquela seda que salva
Tipo vinho seco que adoça a alma
Como aquela guerra que transmite calma
E o sorriso simples que merece palmas

É tipo a divisão de indecisões
O teor de uma erupção em emoções
E o caráter formado por ocasiões
E não vai ser moldado por opiniões

E o outro sou eu
O atribulado sou eu

Mas também vem da rua
Criado sem pai, pô!
Acho que foi isso que me deixou tão sagaz, ah
Provar minha conduta, ainda é cedo demais
Mas, se hoje eu tô na guerra
É porque amanhã quero paz

E no declive
Se não tiver equilíbrio, é queda livre
E tipo eu sou a bala, ela é o calibre, pá!
Eu procuro a guerra, ela decide
Se vamos guerrear

Ela é eclipse, eu sou quebrada
Eu sou formação marginal, ela é magistrada
Sou o maluco que pula de ponta da ponte
Ela é o horizonte, e nós juntos se torna estrada
Ela é o erro na medida exata
Ela é joia rara, mais que o ouro, mais que a prata

E esse sem camisa de Evoque e cordão
Que faz dessa avenida melhor emoção
É bem avançado, o bagui é bem avançado, pô!
Faço do meu desande minha direção
Se eu pedir pra ela por uma balaclava
Sabe o que ela vai dizer?
Dá nada!
E se eu pedir pra virar vinte madrugada
Sabe o que ela vai dizer?

Ela é tipo aquela seda que salva
Tipo vinho seco que adoça a alma
Como aquela guerra que transmite calma
E o sorriso simples que merece palmas


Top Letras de Tribo da Periferia

  1. Insônia
  2. Valores
  3. Ela Ta Virada
  4. Aniversário do Colombiano
  5. Não Sabia Que Era Tão Bom Assim
  6. Aquela Porta
  7. Djavú
  8. Não Vale a Pena Ficar Louco de Problema (part. Look)
  9. Visão Tá Ouro
  10. Viva Comum

Pela Web