Letras Web
Onze a Uma

9mm

Onze a Uma

4 acessos

Correm moleques pelas ruas da batalha
Bala que bate na cabeça e na palavra
Chove vermelho quando o tempo fecha
E há muito tempo ninguém já não faz mais nada

Ele era craque quando jogava bola
Hoje ele vende crack na escola
Somos pivetes que vendem chicletes
E um canivete pra tirar algum por fora

E o bate-bate da cabeça contra o chão
O tempo já levou nossa razão
Hoje já estamos armados, somos caçados, rotulados
Com uma nove na mão

Nove milímetros na mão
No peito um coração
Tão duro quanto o pão
Que ontem e hoje não tivemos não, não, não, não, não!

A sombra e a escuridão
Eu olho a vida por um cano fino
E lá se foi a vida...

Homem armado se torna só
Então retornamos ao pó
No princípio era o verbo e o verbo era deus
Que deus perdoe a todos nós

Nove milímetros na mão
No peito um coração
Tão duro quanto o pão
Que ontem e hoje não tivemos não, não, não, não, não!

A sombra e a escuridão
Eu olho a vida por um cano fino
E lá se foi a vida...

Top Letras de Onze a Uma

  1. Luz Amarela
  2. Droga
  3. Relógio de Lágrimas
  4. 9mm
  5. Era de Manhã
  6. Carta
  7. Fotos
  8. Noite
  9. Lôra
  10. No Centro

Pela Web