Letras Web
Jukinha Vieira

Sina

Jukinha Vieira

4 acessos

Frei Damião me falou que o mundo um dia ia se acabar
Mas no sertão quando chove a água respinga no mar
Frei Damião me falou que o mundo um dia ia se acabar
Mas no sertão quando chove a água respinga no mar

Sou mameluco, sou mouro, sou árabe e sou judeu
Sou ameríndio, sou negro, sou berbere e branco europeu
Me faço cara, figura, mistura de um sincopado
E danço frevo, pagode, ciranda, afoxé e xaxado
Com essa cara, com jeito, mistura e tudo o que sou
Eu faço versos e lembro aquele que me inspirou
Lá no terreiro, alpendre de palha eu tenho louvor
Não vai no sangue vai em outro canto eu sei sim senhor

Frei Damião me falou que o mundo um dia ia se acabar
Mas no sertão quando chove a água respinga no mar
Frei Damião me falou que o mundo um dia ia se acabar
Mas no sertão quando chove a água respinga no mar

Eu bem que disse que essa previsão estambocou o gonguê
No assovio Baleia latiu e se pôs a correr
Em disparada o sol que surgia logo se afiou
E rachaduras na lama da seca ele provocou
Na terceira ou quarta cercania cabroeira vai passar
Na passada do rio vai ter o pife de Zé de Fulo
Alvorada encandeia a certeza que esse dia vai chegar
Na folia de reis vou cantar esse samba pro meu amor

Frei Damião me falou que o mundo um dia ia se acabar
Mas no sertão quando chove a água respinga no mar
Frei Damião me falou que o mundo um dia ia se acabar
Mas no sertão quando chove a água respinga no mar

Eu só concebo um cabra que é homem na encruzilhada
Pois sua palavra é como um tiro e tem muito valor
No tempo ardente a honra é tudo que se conquistou
E o meu punhal, seca e sangue é aquilo que me apaixonou
Ouvi dizer que pras bandas do mar se tem grande fartura
E que essa gente que aqui perambula por lá já passou
Só pode ser o tal do fim do mundo que se anunciou
E essa sina que falam é certa e tudo se findou
No mode que seca correu
No mode que tudo se viu
Me acode pelo amor de deus
Que aquilo que se foi sumiu
4 VEZES

Frei Damião me falou que o mundo um dia ia se acabar
Mas no sertão quando chove a água respinga no mar
Frei Damião me falou que o mundo um dia ia se acabar
Mas no sertão quando chove a água respinga no mar

Top Letras de Jukinha Vieira

  1. Nordestinagem
  2. Dois em Um
  3. Segredos
  4. Sina

Pela Web