Letras Web
G.R.E.S. Arranco do Engenho de Dentro

Samba-Enredo 2019 - Arlindo Cruz, o Partideiro Imperiano

G.R.E.S. Arranco do Engenho de Dentro

2 acessos

Gente eu tô morrendo de saudade
Da simplicidade que aflora meus versos
Do toque macio no banjo arredio
Na voz da doçura que adoça o universo
De me emocionar em cada canção
E sentir a inspiração
Dar saber ao dia e sabor a noite
Um sentimento sem igual
Alegrar a vida, amenizar o açoite
Do meu sonho de carnaval

Imperiano coração da escola, só chora por ela
Em minha alma, o samba é como um giz
É minha raiz, meu nome é favela

Daquele almoço de domingo em família
De ver o jogo do mengão pela telinha
Da casa em festa recebendo os amigos
O aconchego o descanso, o abrigo

Ouvi o povo humilde me chamando pra cantar
A poesia, reencontra o meu lugar
Desenhando as emoções
E o Arranco traz de novo as sensações

Firma o tambor, dança o Orixá
Kaô Xangô Cabecilê
Cantam os terreiros pro meu show continuar
Caciqueando sei que o bem vai renascer


Top Letras de G.R.E.S. Arranco do Engenho de Dentro

  1. Samba Enredo 1989 - Quem Vai Querer?
  2. Samba Enredo 1998 - A lenda do Aguapé, na tribo do Yacaré
  3. Samba Exaltação - Versão Atualizada
  4. Samba Enredo 2005 - Quem Vai Querer?
  5. Samba Enredo 1977 - Príncipe do Efã
  6. Samba Enredo 2000 - Brasil, 500 anos em três raças
  7. Samba Enredo 2007 - Sinfonia Brasileira Das Quatro Estações
  8. Samba Exaltação - Versão Original
  9. Samba Enredo 2002 - Feira de São Cristóvão
  10. Samba Enredo 1974 - Estrela Dalva

Pela Web