Letras Web
Celso Oliveira & Os Guitarreiros

Quando Alço o Pé No Estribo

Celso Oliveira & Os Guitarreiros

13 acessos

Quando alço o pé no estribo não tenho patrão nem dona
Meu flete conhece o rumo da min'alma querendona
Cruzando e riscando atalhos dormindo sobre a carona
Talvez nem morra comigo essa ancia redomona

Um mouro cria de "ajja "que entende dos meus enredos
Tem andar de bailarina que anda na ponta dos dedos
Florão de campo e estrada pronto pra tudo e sem medos
Por isso se estou montado sou nós dois e meus segredos

Lida bruta e cara feia não me achica nem me assusta
Quando alço o pé no estribo qualquer retoço me gusta

Escramuço o mouro negro num baile de rancheirio
Um teatino só de olvido perde o rumo num bugio
Um panorama na sala pra curar qualquer fastio
Se alegra canta e retova minha alma de campo e rio

O dia destapa a cara por tras dos serros fronteiros
Dou de rédeas rumo ao rancho num galopito chasqueiro
Deixei um trato em aberto pra um rodeio de janeiro
Uma ruiva andar de garça luar nos olhos bregeiros


Top Letras de Celso Oliveira & Os Guitarreiros

  1. Estraveado
  2. Além da Cancela
  3. Balneário Pinhal
  4. Quando Alço o Pé No Estribo
  5. Pra quem maltrata cavalo
  6. Pra Domar Um Venta Rasgada
  7. Saudade de Um Tropeiro
  8. São Luiz Gonzaga

Pela Web