Letras Web
Acceptus Noctifer

Vícios de Covil

Acceptus Noctifer

11 acessos

O meu olhar entende o vosso olhar fatal,
se bem que o meu sentir, espavorido, fuja
desse perverso olhar, desse clarão que suja as almas
e envenena a flor do ideal...

Que vós não tendes alma, apunhalou-a o vício
nas cenas do deboche, às horas dos anseios...
D'há muito que o amor fugiu dos vossos seios,
e o vosso amor d'agora é um amor de ofício!

Por toda a parte encontro a vossa graça espúria
no mesmo tom banal de gestos imprudentes.
Abrindo a suja boca em risos indecentes,
para a fechar em beijos de luxúria!

O vosso ar ilude, o vosso busto chama,
escandalosamente, o vosso todo atrai...
Porém a sedução a breve trecho cai,
porque lhe falta a graça ingénua de quem ama...

Ou seja numa alcova ou seja num casebre,
o vício bestial, ó pálidas estátuas,
depois de vos gozar numas carícias fátuas,
concedo-vos somente as podridões e a febre.

Desenha-vos na face, encerra-vos na testa,
as rugas que colheu nas noites mal passadas.
E vai por essa vida a rir às gargalhadas,
do lívido desdém da rara gente honesta...

Não pára um só momento, abrange o mundo inteiro.


Top Letras de Acceptus Noctifer

  1. Sonhos De Cadáver
  2. Funérea Madrugada
  3. Vícios de Covil
  4. Veneno Que Me Bebe
  5. Canteiro De Ossos
  6. Bacantes De Nobres Vícios
  7. O Estertor Mortal
  8. Seja Essa A Tua Sede...

Pela Web